Papagaio

Os papagaios são aves muito interessantes, que têm como peculiaridade, além de sua inteligência, a habilidade de imitar a voz humana. São animais extremamente gregários, ou seja, gostam de viver em grupo, mantendo assim sua personalidade extrovertida. Por estes motivos estas aves vêm sendo criadas há anos pelo homem. Existem no mundo 29 espécies de papagaios e 14 delas ocorrem naturalmente no Brasil. Hoje, no Brasil, só são permitidos para criação em cativeiro, animais provenientes de criadouros legalizados pelo IBAMA.

Os papagaios brasileiros, mais comuns em nossos lares, são de coloração predominantemente verde, com colorido da cabeça, asas e cauda variável, conforme a espécie. 

Estes papagaios são criados em alguns criadouros e a única maneira legal de adquiri-los é através deles. Outro grupo de papagaios encontrados à venda são os papagaios africanos, de coloração cinza.  Muitos especialistas consideram os africanos mais inteligentes e falantes que os brasileiros, por estes motivos são os preferidos nos EUA.

Os papagaios são aves que em cativeiro vivem em média 50 anos, havendo relatos de criadores que mantiveram animais por 80 anos, passados de uma geração à outra. Quanto melhor a alimentação (em qualidade e não quantidade), a higiene e os cuidados dispensados à ave, maior sua expectativa de vida. Principalmente pela alimentação incorreta, a maioria das aves mantidas em cativeiro no Brasil vive somente entre 10 e 15 anos.

A alimentação do papagaio não deve ser baseada apenas em girassol, como a maioria das pessoas pensa. O girassol é um alimento rico em lipídios (gordura) e pobre em outros nutrientes, deixando o papagaio gordo, mas não bem nutrido, dando a falsa sensação de saúde. O girassol pode ser usado esporadicamente como complemento, não como base da dieta. A alimentação destas aves deve ser rica em frutas, legumes, tubérculos, verduras, algumas sementes e conforme a necessidade suplementos vitamínicos e minerais. Atualmente temos também rações específicas para psitacídeos, sendo a melhor opção alimentar. Alimentos condimentados ou aquecidos, embutidos (salsicha, mortadela, salame), farináceos (pães, bolos, biscoitos, macarrão), café, chocolate e doces não devem ser oferecidos. Deve ser mantida água fresca durante todo o dia.

O melhor local para manter um papagaio em sua casa é uma ampla gaiola ou viveiro, bem arejada, com área protegida de chuva, ventos e sol. Esta gaiola deve ser rica em poleiros (de madeira) e brinquedos (evitar brinquedos que possam ser ingeridos ou feitos de metal). Evite usar correntes para prender as aves, pois causam uma série de acidentes. O ambiente deve ser higienizado diariamente, raspando os poleiros e limpando o assoalho da gaiola/viveiro. Em relação ao corte de asas (para dificultar o vôo e as fugas) e das unhas (para amenizar os arranhões ao manipular a ave) procure a ajuda de um veterinário especializado.

As doenças mais comuns são aquelas decorrentes de deficiências nutricionais. Além delas, os papagaios apresentam ecto e endoparasitas, problemas respiratórios (comuns no inverno), diarréias. Com relação ao sexo, existem apenas duas maneiras de se diferenciar o macho da fêmea: a mais antiga é a laparoscopia, onde através de um endoscópio verifica-se a presença de testículos ou ovários, e a mais recente é através da utilização da tecnologia em DNA, que por apenas um gota de sangue ou uma pequena pena diagnostica-se o sexo da ave.

Os papagaios são animais da fauna brasileira, ou seja, são animais silvestres e não é permitida a criação ou venda destes animais a não ser que sejam provenientes de criadouros legalizados pelo IBAMA.